O orçamento é uma parte complementar de um plano financeiro estratégico que prevê receitas e futuras despesas dentro de um determinado período de tempo. Ele serve como base de auxílio para a administração do setor privado e público de pessoas jurídicas, e de finanças pessoais para pessoa física.

No caso das empresas, pessoa jurídica, o orçamento é fundamental para compreender os rendimentos e os gastos gerados pela empresa. Os valores elaborados no orçamento é indispensável para a criação de metas de economia, elaboração de estratégias de desenvolvimento, e ainda para fatores simples como a contabilidade da empresa.

Mas esses dados não são necessariamente uma exclusividade das empresas, qualquer pessoa pode elaborar seu próprio orçamento financeiro e controlar suas finanças. O principal objetivo de realizar um orçamento é saber exatamente os valores arrecadados e os valores gastos em um período, que na maioria é de um mês. Esses dados auxiliam as pessoas a economizar dinheiro e até mesmo guardar o restante arrecadado.

Embora pareça uma tarefa difícil, criar um orçamento é bastante simples e fácil. O orçamento pode ser criado através de uma tabela simples ou ainda em forma de lista, caso seja um orçamento pessoal. No caso das pessoas jurídicas, o orçamento criado geralmente envolve uma série de dados específicos, além de dispositivos como planilhas para o armazenamento de dados.

Mas para quem busca manter o controle financeiro pessoal não é preciso muita coisa. Atualmente existem diversos aplicativos para dispositivos móveis que permite a elaboração de dados em forma de planilha, tabela ou lista. Alguns deles já possuem categorias e abas específicas para classificar os gastos e os rendimentos mensais.

De uma forma mais resumida, para criar um orçamento pessoal é preciso levantar alguns dados financeiros, como os rendimentos mensais. Essa categoria envolve todos os valores arrecadados ao mês, como o salário líquido, as horas extras, rendimentos de aluguéis ou ainda pagamentos realizados por trabalhos freelancers.

O segundo dado a ser levantado é sobre os gastos mensais. Nesta categoria, deverão ser incluídos todos os gastos que vão desde as despesas fixas, como as contas de luz, água, telefone, financiamentos, alimentação, entre outras, até as despesas variáveis, como as viagens, roupas, restaurantes, passeios, entre outras.

Depois de levantar esses dados, é possível ter uma visão mais ampla sobre as finanças pessoais e assim elaborar metas e objetivos para cortar despesas, economizar dinheiro e ainda poupar para realizar sonhos ou comprar algo muito desejado.