A quantidade de pessoas que são vítimas de fraudes no cartão de débito e crédito é grande. Segundo dados levantados em meio a uma pesquisa realizada pela Global Consumer Card Fraud, em 2016, o número de brasileiros vítimas de alguma modalidade de fraude chegou a 49% dos entrevistados. Isso chega a acarretar prejuízos enormes para o consumidor e também para a economia do país.

Mesmo sendo cada vez mais comum as fraudes cometidas nos cartões de crédito e débito, elas são possíveis de serem evitadas. O especialista no assunto e líder de risco da empresa iZettle no Brasil, Iremar Brayner, ensina como o consumidor pode se defender e evitar as formas de fraudes mais comuns aplicadas nos dias de hoje, e como proceder mediante a elas.

1 – A rapidez em denunciar a fraude é extremamente importante, sendo que elas acabam sendo aplicadas de duas maneiras diferentes. A primeira é a utilização não autorizada do cartão de uma pessoa que está sofrendo um golpe. A segunda maneira é a emissão de cartões no nome de uma pessoa a partir de dados roubados. Caso sejam comprovadas as fraudes, o prazo limite para que os gastos gerados a partir da fraude sejam reclamados é de 120 dias, segundo as instituições financeiras.

Brayner explica que o mais importante a se fazer é comunicar imediatamente o banco que emitiu o cartão. Esse ato impede que outras transações de fraudes sejam realizadas e ainda alerta o banco para realizar investigações sofre o problema.

2 – É essencial que você registre a queixa em uma delegacia. Brayner alerta sobre a existência de um mercado negro onde existe venda de informações pessoais. Sendo assim, ele explica que os bandidos têm a possibilidade de adquirir dados e realizar operações fraudulentas a qualquer momento. Por isso, a ação deve ser registrada imediatamente pela polícia.

3 – Não faça atualizações a partir de e-mails recebidos. A caixa de e-mail é uma das maiores portas de entrada de vírus que podem acessar seus dados bancários, dados pessoais e tudo ao seu respeito.