A prefeitura de Niterói, município localizado próximo ao Rio de Janeiro, informou recentemente quais são os projetos que fazem parte do planejamento estratégico definido para a cidade entre 2017 e 2020, seguindo um plano que ficou conhecido como “Niterói Que Queremos”, informa o especialista em Projetos de Infraestrutura, Felipe Montoro Jens.

Com mais de trinta metas planejadas, a prefeitura incluiu nos planos a municipalização do Estádio Caio Martins, a criação de uma Parceria Público-Privada (PPP) para a construção do Mercado Municipal Feliciano Sodré, a remodelação da Orla de Charitas, um projeto que visa incentivar o desenvolvimento de startups, a construção de dois parques urbanos, que são o Parque de Piratininga e o Parque das Lagoas de Itaipu, e também a urbanização de três grandes comunidades do município, o Morro do Estado, o Morro do Preventório e a Vila Ipiranga.

O projeto “Niterói Que Queremos” surgiu em 2013 e consiste em um conjunto de ações que tem como objetivo recuperar e ampliar a qualidade de vida na cidade no longo prazo, até o ano de 2033. A primeira parte do projeto, que ocorreu entre 2013 e 2016, foi essencial para que fossem definidas grande parte das metas a serem implantadas, reporta o especialista Felipe Montoro Jens.

Algumas metas ainda deverão ser definidas durante a segunda fase do projeto, incluindo os estudos mais aprofundados acerca da possível implantação do VLT (Veículo Leve sobre Trilhos) entre a região oceânica de Charitas e o centro. De acordo com Rodrigo Neves, prefeito do município, esse e outros projetos ainda indefinidos terão continuidade ainda no ano de 2017.

O prefeito de Niterói informou também que a prefeitura publicou vários editais acerca das metas já pré-estabelecidas, incluindo um edital sobre as reformas e a gestão do Mercado Municipal Feliciano Sodré, indicando que o projeto segue avançando rapidamente, noticia Felipe Montoro Jens.

Entre os projetos e as metas para Niterói durante os anos de 2017 e 2020, ainda é possível citar a conclusão da fase atual das obras da Transoceânica, que irá implantar um corredor de ônibus BHS, novas melhorias nos transportes públicos do município, reformas e modernizações na Maternidade Alzira Reis, a criação do plano “Remédio em Casa” e a construção de mais de cem quilômetros em ciclovias, sendo 50 quilômetros apenas na região litorânea.

Ainda no ano de 2017, a prefeitura do município comprometeu-se a informar os detalhes dos cronogramas de cada meta, como por exemplo, as datas de início e término, informa o especialista Felipe Montoro Jens.

Atualmente, no que diz respeito à infraestrutura dos municípios, escolher as Parcerias Público-Privadas é uma das opções mais vantajosas que o poder público tem em mãos para reduzir o imenso déficit estrutural presente em grande parte das cidades brasileiras. Além de estarem presentes em diversas áreas, como mobilidade urbana, saúde, iluminação pública e transporte, as PPPs conseguem modernizar a qualidade dos serviços públicos e fornecer alternativas melhores e mais eficientes para os brasileiros, reporta o especialista em Projetos de Infraestrutura, Felipe Montoro Jens.