A economia dá sinais de melhora, principalmente em relação a situação financeira dos brasileiros. O Índice de Saúde Financeira (ISF), que utiliza como base os usuários do GuiaBolso, app de controle financeiro. Índice chegou a 416 pontos. Em dois anos, esse é o melhor desempenho dos usuários.

Durante o auge da crise, em julho de 2015, o ISF foi o pior registrado chegando a 388 pontos, de um total de 700 possíveis. Participaram do levantamento 44.061 usuários do GuiaBolso, cuja renda média é de R$ 5.137. O ISF avalia a situação financeira do brasileiro em três variáveis: fluxo de caixa, investimento e dívida.

O aplicativo mede a entrada e saída monetária na conta corrente do usuário, se ele entrou no cheque especial ou realizou algum investimento. A partir de março, quando os brasileiros passaram a resgatar os recursos das contas inativas do FGTS houve um aumento do fluxo de caixa.

O FGTS liberado pelo governo estimulou o crescimento da economia, ajudou a equilibrar as contas (e o orçamento) das famílias. Com mais recursos, elas puderam investir e evitar o uso do cheque especial ou mesmo se endividarem no médio/ longo prazo.

Projeções para 2017

O Banco Central voltou a reduzir a projeção para a inflação para este ano e 2018. O Boletim Focus, divulgado no dia 18 de Setembro, estimativa medida pelo IPCA caiu de 3,14% para 3,08% este ano. Essa é a quarta redução seguida e para 2018 a projeção foi reduzida de 4,15% para 4,12%.

As estimativas continuam abaixo da meta de 4,5%, que deve continuar sendo o foco do Banco Central. Essa meta ainda apresenta o intervalo de tolerância que varia entre 3% e 6%. Para atingir a meta, o BC usa como principal variante a taxa de juros Selic, que atualmente é de 8,25% ao ano.

A estimativa para o PIB (Produto Interno Bruto) manteve-se em 0,6% este ano e para 2018, ficará entre 2,1% para 2,2% positivos.

Agora resta esperar como o mercado vai se comportar em relação às mudanças no cenário político brasileiro.