Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia Estatística – IBGE – o setor industrial fechou em alta de 0,8% no final do mês de julho de 2017. Essa alta é em comparação com o mês de junho de 2017.

A indústria brasileira teve um progresso acima do esperado pelos especialistas e fechou bem o mês de julho como já não fazia há seis semestres. Um dos maiores contribuidores para esse ótimo desempenho é os bens de consumo, que influenciaram diretamente no PIB do segundo trimestre de 2017. Desde 2012 que uma alta destas não é registrada no setor industrial.

Também no mês de junho uma alta de 1,3% melhorou os ânimos da indústria, sendo que desde 2014 não deu motivos para o setor comemorar um fechamento.

Especialistas da Reuters diziam que as expectativas mais prováveis eram de 0,4% de alta e 1,58% na análise anual, o que está na média do que foi previsto.

“A indústria mostra comportamento nitidamente diferente após 4 meses de alta. Há um perfil disseminado de crescimento”, explica André Macedo, coordenador do IBGE.

“A melhora da indústria é puxada por bens duráveis como eletrodomésticos e linha marrom. O consumo reage a estímulos que vem da liberação do FGTS, inflação mais baixa e melhora residual do mercado de trabalho”, diz André.

O IBGE também enfatiza que o retrospecto positivo da indústria no mês de junho, está ligado aos bens de consumo duráveis, em vista de que essa categoria teve um avanço de 2,7% e conseguiu recuperar uma queda de 5,6% de outras categorias também em junho. Os chamados bens semiduráveis categoricamente, junto aos não duráveis, tiveram um avanço de 2% em julho.

Essa melhora pode ser claramente observada no Produto Interno Bruto do país. O PIB brasileiro avançou 0,2% no último trimestre, e o ótimo retrospecto da indústria no mês de julho teve seu papel nisso. O maior retrospecto foi do setor de serviços, que potencializou esse crescimento ainda considerado tímido.

Para o IBGE, a surpresa fica por conta de ser o setor industrial, que no fechamento do segundo trimestre de 2017 fechou em queda de 0,5% no total acumulado.