Desde 2009, Luiz Carlos Trabuco Cappi é o Diretor-Presidente do Banco Bradesco. Ele foi eleito em 2009, aos 57 anos de idade, para estar a à frente do, na época, segundo maior banco privado do Brasil.

O executivo, nascido em 6 de outubro de 1951 no município de Marília, em São Paulo – formado em filosofia pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (FLCH–USP) e pós-graduado em Sócio psicologia na Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo (FESPSP) – entrou no cargo para substituir Márcio Cypriano, o atual presidente da instituição bancária na ocasião.

Cypriano foi presidente-executivo do Bradesco durante dez anos, mas teve que deixar o comando por conta do estatuto do banco que não permite presidentes com mais de 65 anos. Ele saiu da presidência com uma ótima performance – no tempo em que esteve à frente da instituição, multiplicou o seu valor de mercado de US$ 5 bilhões para US$ 30 bilhões.

Luiz Carlos Trabuco Cappi, por sua vez, seria apenas o quarto presidente na história da instituição bancária – os outros, além de Márcio Cypriano, foram o seu antecessor, Lázaro Brandão, responsável pela indicação de Trabuco; e o fundador Amador Aguiar. O executivo, porém, já era bem cotado na época em que foi eleito ao cargo – Luiz Carlos Trabuco Cappi assumiu a presidência no início do mês de março e já possuía uma forte identificação com a cultura da casa. Ele já estava lá há cerca de 40 anos, visto que, iniciou a carreira no banco em 1969, com apenas 18 anos.

No Bradesco, o atual presidente passou por áreas estratégicas como previdência privada e marketing. Foi promovido a vice-presidente com apenas 47 anos. Mas foi como chefe da Bradesco Seguros que seu trabalho chamou a atenção. Sob o comando de Luiz Carlos Trabuco Cappi, a participação de mercado da Bradesco Seguros passou de 23% para 25% do total de prêmios. Ainda, a contribuição da seguradora no resultado do banco aumentou de 26% para 35%.

Luiz Carlos Trabuco Cappi é considerado um executivo com um estilo parecido ao do seu antecessor na presidência, o Cypriano – empresários que usam ternos discretos e são comedidos nas palavras. Quando assumiu a presidência, o banco havia acabado de perder a liderança no mercado. De forma cautelosa, Cappi ressaltou, na época, a respeito da corrida pela primeira colocação no ranking bancário. “A liderança em si não é um objetivo”, disse o presidente, que ainda completou – “Nosso objetivo é fazer o melhor trabalho nos municípios que atendemos”.

Cerca de dois anos atrás, no entanto, o executivo fez um dos lances mais ousados à frente da instituição bancária – comprou a filial brasileira do HSBC por US$ 5,2 bilhões, no maior negócio no Brasil em 2015, e mantém o banco na briga pelas primeiras colocações no ranking de ativos.