O Brasil é o maior exportado global de café verde e o mês de julho contou com volumes menores de acordo com dados da Secretaria de Comércio Exterior.

Em 2008 o Brasil exportou 1,66 milhão de sacas de café em grãos e em julho deste ano teve uma exportação menor com 1,6 milhão. A colheita de uma safra menor ainda não chegou efetivamente ao mercado, devido aos baixos embarques e com os produtores segurando as vendas quanto só preços não aumentam e os países importadores estão bem abastecidos, na avaliação do diretor do Conselho dos Exportadores de Café do Brasil.

Os maiores importadores do café verde do Brasil é os Estados Unidos que tem seu consumo em liderança, correspondendo a 19,5% do total, em seguida vêm a Alemanha com 17,9% e a Itália com 9,1%, o Japão com 7,1% e a Bélgia com 5,9%. E nas últimas exportações houve um aumento para outros países como Rússia 15,7%, Turquia 20,4% e a França 15,7%.

Em junho a exportação ficou ainda mais fraca e somaram aproximadamente 1,7 milhão de sacas de café verde, que é considerado um número pequeno em comparação com as exportações mensais feitas pelo Brasil que chega a exportar 3 milhões de sacas em seus melhores momentos. “O que a gente está vendo é uma queda por uma série de fatores. A safra que o Brasil está colhendo ainda vai entrar no mercado”, disse Eduardo Heron que é o diretor técnico do Cecafé. As exportações do país em geral começam a subir nos próximos meses após a conclusão das colheitas. O hemisfério norte devido ao verão, diminui o consumo de café, explica Heron, e devido aos armazéns abastecidos. Se isso não fosse o bastante, o mercado não estaria favorável aos negócios de café, “Os produtores não estão se sentindo atraídos pelos preços, eles fazem vendas pontuais” diz Heron.

Um levantamento mais recente da Campanha Nacional de Abastecimento a Conab, o Brasil espera colher 45,56 milhões de sacas de café esse ano, que apesar de alto o número fica abaixo de 2016 com 51,36 milhões uma safra recorde.

Existem alguns critérios, afirma o diretor do Cecafé, que diferem os números do conselho dos Secex, que concorda que as exportações foram baixas em julho. “Em linhas gerais, olhando o que tem de café verde, não estará tão fora disso”, explica ele com referências aos dados da Secex, o número de julho do Cecafé, certamente ficará menor que 2 milhões de sacas. A exportação mais baixa registrada na história foi em junho de 2008 com 1,56 milhão de sacas, e no ano passado o Brasil exportou volumes de pouco mais de 500 mil sacas.